JURA EM PROSA E VERSO

 

 

TRABALHOS MAÇÔNICOS

 

 

 

A POSTURA DO MAÇOM EM TEMPOS DE POLARIZAÇÃO

 

Heryck da Silva Costa

 

 

 

 

https://1.bp.blogspot.com/-zDcUfGojWTY/XthebgBYFZI/AAAAAAAAPkk/hDW0umpw0RoDXTagf_KEYymS6wCfkL2-ACLcBGAsYHQ/s400/equilibrio_hg543weew.jpg

 

 

 

Livres e de bons costumes. É praticamente impossível formar um conceito ou definição completa acerca dos membros da Maçonaria Universal sem em algum momento mencionar estes dois adjetivos. Assim, ao mesmo tempo em que o maçom traz consigo a honra de ter tais qualidades atribuídas a sua pessoa, também carrega a obrigação de sustentá-las através de suas condutas dentro e fora de loja.

 

Acontece que diante dos tempos de turbulência em que a sociedade atravessa, onde a cada dia se eleva ainda mais a polarização ideológica e político-partidária, aumentando também a intolerância, muitos irmãos estão se agarrando fervorosamente às suas inclinações profanas e esbravejando-as contra seus opositores, indo na contramão da postura e da prudência que são delineadas pela ordem maçônica.

 

Além dos inúmeros conflitos gerados por tal fenômeno, ainda há de se observar uma lamentável inversão de valores. Neste contexto, torna-se difícil explicar ou conceituar o momento atual, razão pela qual peço vênia para resumir através de um trecho de uma das mais belas cerimônias da para-maçônica Ordem DeMolay, a Cerimônia da Luzes, conforme o texto colacionado “in verbis”:

 

“Mas nós vivemos uma época turbulenta, quando o tumulto está em nossa pátria; quando os baluartes do livro sagrado, dos livros escolares estão em perigo de afundar no turbilhão da dúvida e incerteza; quando estes sete gloriosos preceitos [amor filial; reverência pelas coisas sagradas; cortesia; companheirismo; fidelidade; pureza; e patriotismo] não são os mais cobiçados modelos sobre os quais se baseia a vida; quando a confiança, a justiça e a fraternidade não são consideradas as qualidades mais virtuosas”

 

Frente a este cenário, o que se vê é o risco de muitos valorosos maçons saírem da retidão obtida pelo desbastamento de seu caráter, e, em contrapartida, serem vencidos por suas paixões.

 

Não são raras às vezes em que chegam ao conhecimento das lojas as ocorrências de discussões de baixo nível envolvendo obreiros de seu quadro, inclusive através de redes sociais. Neste ponto, vale destacar que o enorme alcance da internet faz com que esses lamentáveis eventos tomem proporções inimagináveis, maculando não somente o nome dos envolvidos, mas, muitas vezes, da instituição.  

 

Importante dizer que o maçom, enquanto cidadão possui o direito constitucional de se manifestar e se posicionar quanto aos assuntos profanos que lhe interessam, não havendo nenhuma proibição da Maçonaria neste sentido. O que há, na verdade, é a exigência de se ter cautela para com em seus comportamentos, a fim de fazer jus à luz que recebeu, preservando a sua imagem e a da Ordem, evitando ao máximo que seja envolvida, sobretudo ao tratar de assuntos políticos.

 

Não obstante a isso, em estratégia preventiva e pedagógica, é oportuno mencionar algumas passagens presentes no Ritual de Aprendiz Maçom do Rito Escocês Antigo e Aceito no tocante à Conduta:

 

“Os Maçons devem conduzir-se como convém a um homem prudente e de boa moral”

 

“Evitem-se igualmente a embriaguez e os maus costumes”

 

No que concerne à Moral Maçônica, o mesmo diploma dispõe:

 

“Evita as querelas, previne insultos, deixa que a razão seja teu guia”

 

“Não te irrites com facilidade, porque a ira repousa no seio do ignorante”

 

“Fala moderadamente com os grandes, prudentemente com os iguais, sinceramente com os amigos, carinhosamente com as crianças e ternamente com os pobres”

 

Em observâncias às disposições supra, é imediata a sua relação com os bons costumes, pois, sendo estes realmente autênticos, legítimos e dotados de boa-fé, transformam-se em virtudes sem limitações, uma vez que é um dos poucos casos em que o excesso não gera prejuízos, pelo contrário, enobrece o homem e engrandece a sociedade. Por outro lado, a liberdade que cada um goza deve ser exercida sem extrapolar determinados limites éticos, sob pena de ferir a integridade moral que se espera de um iniciado e de atingir a própria instituição.

 

Por fim, é de se concluir que a Maçonaria determina ao maçom para que, mesmo nesta época de um mundo tão polarizado e com pouco espaço para o diálogo saudável, permaneça firme e atento a fim manter sua postura dentro do esquadro e do compasso.

 

Porto Franco/MA, 03 de junho de 2020.

 

Heryck da Silva Costa

 

Sobre o autor:

Mestre Maçom da Aug:. e Resp:. Loj: Simb:. Tiradentes nº 18 – GLEMA

Sênior DeMolay do Capítulo Waldemar Gomes Pereira nº 534

Membro do Colégio Alumni Waldemar Gomes Pereira nº 200

Cavaleiro do Priorado Escudeiros do Maranhão nº 32