Jura em Prosa e Verso

 

TRABALHOS MAÇÔNICOS

 

General Mourão (Vice-Presidente da

 

República) recebe o mais alto

 

grau da maçonaria

 

 

Cerimônia foi realizada no Rio Grande do Sul.

 

Michael Caceres

 

 

 

 

Hamilton Mourão sendo graduado na maçonaria

 

 

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, foi elevado, no último sábado (19Ago19), ao mais alto grau da maçonaria.

A cerimônia foi realizada  em Ijuí, no Rio Grande do Sul, com a participação de membros de diversos países. A sessão foi acompanhada por jornalistas.

Mourão alcançou o topo da hierarquia desta irmandade, sendo elevado ao grau 33 e tornou-se Grande Inspetor Geral. Além do vice-presidente, outros 77 membros foram promovidos.

Para conduzir o ritual de investidura, o Supremo e Grande Comentador, Jorge Luiz de Andrade, do Conselho Supremo do grau 33, esteve presente, assim como Soberanos Grandes Mestres da Argentina, Paraguai e Haiti, segundo a Rádio Progresso.

Durante uma entrevista concedida ao apresentar Pedro Bial, da Rede Globo, Mourão negou que a maçonaria seja uma sociedade secreta, mas explicou que eles prezam por ser discretos.

 

Maçonaria atuou na construção de um país moderno e

 

livre, diz Hamilton Mourão

Em posição de respeito, parlamentares e convidados acompanham execução do Hino Nacional Brasileiro, pela banda do Corpo de Bombeiros Militar do DF, na abertura da sessão especial pelo Dia do Maçon
Roque de Sá/Agência Senado

·        Plenário do Senado Federal durante sessão solene do Congresso Nacional destinada a comemorar o Dia do Maçom Brasileiro.   Em posição de respeito, parlamentares e convidados acompanham execução do Hino Nacional Brasileiro, pela banda do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF).  Mesa: grão-mestre do Grande Oriente do Distrito Federal, Reginaldo Gusmão de Albuquerque; secretário-geral da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB), Cassiano Teixeira de Moraes; vice-presidente da República, Hamilton Mourão; requerente desta sessão de comemoração, senador Izalci (PSDB-DF); requerente desta sessão de comemoração, deputado General Girão (PSL-RN); grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), Múcio Bonifácio Guimarães; presidente da Confederação Maçônica do Brasil, Ademir Lúcio Amorim; grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Distrito Federal, Armando Assumpção.  Foto: Roque de Sá/Agência Senado

·        Plenário do Senado Federal durante sessão solene do Congresso Nacional destinada a comemorar o Dia do Maçom Brasileiro.   Em posição de respeito, parlamentares e convidados acompanham execução do Hino  Nacional do Brasil.  Mesa: grão-mestre do Grande Oriente do Distrito Federal, Reginaldo Gusmão de Albuquerque; secretário-geral da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB), Cassiano Teixeira de Moraes; vice-presidente da República, Hamilton Mourão; requerente desta sessão de comemoração, senador Izalci (PSDB-DF); requerente desta sessão de comemoração, deputado General Girão (PSL-RN); grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), Múcio Bonifácio Guimarães; presidente da Confederação Maçônica do Brasil, Ademir Lúcio Amorim; grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Distrito Federal, Armando Assumpção.  Foto: Roque de Sá/Agência Senado

·        Plenário do Senado Federal durante sessão solene do Congresso Nacional destinada a comemorar o Dia do Maçom Brasileiro.   À tribuna, em discurso, senador Major Olimpio (PSL-SP).   Mesa:  grão-mestre do Grande Oriente do Distrito Federal, Reginaldo Gusmão de Albuquerque;  secretário-geral da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB), Cassiano Teixeira de Moraes;  vice-presidente da República, Hamilton Mourão;  requerente desta sessão de comemoração, senador Izalci (PSDB-DF);  requerente desta sessão de comemoração, deputado General Girão (PSL-RN);  grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil (GOB), Múcio Bonifácio Guimarães;  presidente da Confederação Maçônica do Brasil, Ademir Lúcio Amorim;  grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Distrito Federal, Armando Assumpção.  Foto: Roque de Sá/Agência Senado

·        Plenário do Senado Federal durante sessão solene do Congresso Nacional destinada a comemorar o Dia do Maçom Brasileiro.   Em discurso, à tribuna, requerente desta sessão de comemoração, deputado General Girão (PSL-RN).  Foto: Roque de Sá/Agência Senado

·         

·         

O Congresso realizou sessão solene, nesta sexta-feira (23), em homenagem ao Dia do Maçom Brasileiro, comemorado em 20 de agosto. Para o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, presente na sessão, a maçonaria atuou na construção de uma moderna sociedade política, que assegura a liberdade, privilegia o diálogo e se conduz pelo direito.

— No Dia do Maçom, a maior homenagem que podemos fazer é resgatar a memória de sua luta pela liberdade, conhecimento e fraternidade. A contribuição do maçom à vida pública, política e social vem de longa data e distintas geografias — disse Mourão.

Após a execução do Hino Nacional, a sessão teve início com a apresentação de um vídeo alusivo ao Dia do Maçom Brasileiro. Autor do requerimento para a realização da homenagem, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) disse que a busca pela perfeição é um dos princípios essenciais da Maçonaria.

— Em todas as quadras cruciais da história do país, os maçons souberam perceber a oportunidade, e nas guinadas decisivas da formação nacional não faltou coragem aos maçons brasileiros. É certo que os maçons brasileiros estarão na linha de frente nos trabalhos de construção do Brasil que todos queremos, mais desenvolvido, mais igual e mais justo —  afirmou o senador.

Por sua vez, o deputado General Girão (PSL-RN), que também assinou o requerimento da sessão, destacou que a Maçonaria considera os homens iguais em direito para que seja respeitada a dignidade de cada um. Ele falou ainda que os sectarismos político e religioso são incompatíveis com a universalidade do espírito maçônico, que combate a tirania, a ignorância e a superstição.

O senador Major Olímpio (PSL-SP) ressaltou que a Maçonaria teve parte fundamental nos grandes momentos e nas grandes decisões da história do país e que, “por algumas circunstâncias ou destino, acabou, em determinado momento, se distanciando das grandes decisões da participação na vida política”. Agora, afirmou, “o Brasil precisa demais da mobilização dos maçons”.

Para o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), a Maçonaria atuou na construção de uma sociedade justa e igualitária para todos. Ele ressaltou que a Maçonaria não é uma religião, mas uma instituição filosófica, filantrópica, educativa e progressista, que cultiva a humanidade e os princípios da liberdade, democracia, igualdade e fraternidade com aperfeiçoamento intelectual.

Grão-mestre geral do Grande Oriente do Brasil, Múcio Bonifácio Guimarães disse que sem a construção do presente bem feito, não teremos o futuro e a responsabilidade que nos pesa pela participação em movimentos históricos no pais.

Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil de 2016 a 2019, Cassiano Teixeira de Moraes destacou que a Maçonaria sempre foi um “celeiro de ideias e uma oficina de bons exemplos”, e que seus feitos continuam no presente, com os olhos voltados ao futuro.

Presidente da Confederação Maçônica do Brasil, Ademir Lúcio Amorim apontou a união das três potências maçônicas do Brasil, e disse que seus integrantes estão imbuídos de fazer o melhor para a humanidade. “Se a pessoa está melhor, o Brasil está melhor”, afirmou.

Grão-Mestre do Grande Oriente do Distrito Federal, Reginaldo Gusmão disse que a Maçonaria é uma escola de aperfeiçoamento do homem que tem por fim combater a ignorância em todas as suas modalidades.

Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Distrito Federal, Armando Assumpção disse que a Maçonaria trabalha incansavelmente para tornar feliz a humanidade, com a promoção da liberdade, igualdade e fraternidade. Ele defendeu ainda o equilíbrio igualitário na sociedade para que todos tenham um país justo e solidário com saúde.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Agência Senado