JURA EM PROSA E VERSO

 

 

TRABALHO MAÇÔNICO

 

 

VIVÊNCIA DO AMOR FRATERNO – O CALOR HUMANO QUE

 

 

UNE OS MAÇONS

 

Autoria desconhecida

 

https://1.bp.blogspot.com/-fJ59Xx6WT28/Xr3APldCYtI/AAAAAAAAPhc/NVxwx5lwy2wDVggDzEThEP_EKKzXcZSLgCLcBGAsYHQ/s320/download.jpg

 

A Maçonaria recebe novos membros por intermédio da iniciação, o que a diferencia de outras associações de pessoas.

Naquele psicodrama, é exigido do recipiendário o juramento de que tudo fará para defender o seu irmão na ocorrência de infortúnios. É algo bem diferente do irmão de sangue, adquirido de forma compulsiva. O irmão Maçom é resultado de escolha consciente e racional, donde as amizades desenvolvidas na convivência serem unidas com o cimento do amor fraterno.

Um sábio, quando inquirido sobre a sua interpretação do significado de fraternidade, usou da seguinte parábola:

Encontrava-me nas proximidades de uma colina coberta de neve e observava dois garotos que se divertiam com um pequeno trenó.

 

Quando os dois meninos chegavam ao fundo da encosta, depois de terem escorregado, o rapaz mais velho colocava o mais novo às costas e subia pelo declive puxando o trenó por uma corda.

 

O garoto mais velho chegava ao topo ofegante, debaixo da carga elevada para o seu tamanho.

 

E isto se repetiu várias vezes, até que resolvi inquirir:

 

— Mas não é uma carga muito pesada, esta que levas morro acima?

O garoto mais velho respondeu sorrindo:

 

— De forma alguma! Esta carga é leve! Pois ele é meu irmão!

 

Para o sábio, esta foi à definição exata de Fraternidade.

Para ele, o amor fraterno exige espírito elevado, consta até de sacrifícios, mas não o considera como tal, e sim algo natural, a carga é transportada com alegria e sem reclamação.

Este sábio foi o presidente norte-americano Abraham Lincoln.

Na escolha do candidato a ser iniciado na Maçonaria, procura-se entender o perfil emocional do proposto na sua capacidade para desenvolver Vivência no Amor Fraterno.

Na investigação antes da iniciação os inquiridores devem certificar-se se o candidato:

§        Vive em harmonia no lar.

§      Tem boa reputação na sociedade.

§       Relaciona-se bem com colegas de trabalho.

§       É capaz de se adaptar ao meio social.

§      Tem bom convívio social.



 

Significa que todo aquele que for considerado apto, aprovado e iniciado, tem o amor fraterno como característica de caráter e personalidade. Já vem com a capacidade de superar eventuais dificuldades de relacionamento interpessoal. E para melhorar, esta qualidade distintiva fundamental é depois sacramentada por solene juramento!

A consequência é o aquecimento do amor fraterno entre os irmãos da loja.

Na iniciação o recipiendário recebe um avental branco, considerado o seu ornamento máximo, representa o trabalho, e é-lhe dito que deve mantê-lo imaculado, limpo.

Não se trata de sujidade literal, já que esta pode até ocorrer para o diligente e ativo obreiro. Mancha que sai com água, basta lavar e está limpa. O paramento do zeloso Maçom deve ficar isento de qualquer nódoa moral ou comportamental – essa é difícil limpar porque exige mudança do Maçom e o uso da “água” do amor fraterno para lavá-la.

Nenhum iniciado deveria usar o seu avental e entrar numa Loja, se lá estivesse irmão que odiasse. Isso suja o avental de forma indelével além de afetar as energias cósmicas que envolvem a todos durante a sessão. Deve-se considerar a dificuldade de resolver um problema de relacionamento interpessoal como se fosse o escalar de uma encosta íngreme e coberta de neve, com aquele irmão às costas.

Não é fácil!

Mesmo ofegante, e debaixo de carga tão grande, deve-se fazê-lo sorrindo. A razão deve suplantar a emoção, considerando que isto já faz parte do iniciado. Se inquirido sobre o peso da carga, este irmão deve exclamar:

– De forma alguma! Esta carga é leve! Pois ele é meu irmão!

 

Egoísmo e indiferença são sintomas de falta de amor. O contrário de amor não é o ódio, é a indiferença!

Quando existem situações de disputa ou mágoa, é importante que os envolvidos resolvam as querelas fora das paredes do templo, e só então coloquem os seus aventais e entrem.

Ao superarem as suas diferenças, a bênção do Grande Arquiteto do Universo, a divindade dentro do iniciado, proporcionar-lhes-á o aglutinante místico do amor fraterno que cimentará de forma brilhante as duas pedras que ambos representam na grande edificação da humanidade.

Isto é vivência real do amor fraterno, o aglutinante místico que mantém unidos os irmãos numa Loja. Num agrupamento assim constituído é certa a presença do Grande Arquiteto do Universo.

Poderá haver bem maior que um amor fraternal bem vivido?

O Grande Arquiteto do Universo certamente só se manifesta onde existem pessoas que se tratam como irmãos espirituais e onde cada um nutre profundo amor fraterno pelo outro.

Todo o irmão que passar por uma situação onde eventualmente ocorre disputa ou ofensa, deve colocar aquele que considera ser o seu ofensor às costas e carregá-lo ao alto do seu coração.

E, se inquirido acerca do peso, deve exclamar:

– De forma alguma! Esta carga é leve! Pois ele é meu irmão.

 

Adaptado de Autor Desconhecido